crescercomcristo

Just another WordPress.com site

A Estratégia de Jacó

jaco e esau

Sempre ouvimos muito sobre a vida de Jacó, mas talvez deixemos passar despercebido detalhes que certamente fazem a diferença para entendermos melhor. Muita gente acha que ser um escolhido de Deus, ter um chamado, tornará a vida mais fácil; mas na verdade não é assim. Jacó foi escolhido para que dele fosse gerada uma grande nação, seria um líder, mas a vida dele não foi fácil. Desde que Rebeca estava grávida, Deus já havia lhe dito que o maior serviria ao menor. Ou seja, ela sempre soube e guardou isso em seu coração até o momento de agir.

Jacó já nasce com fama de enganador, porque estava segurando o pé de seu irmão ao nascer. O primeiro a nascer foi Esaú e, portanto, ele é quem teria o direito a primogenitura (seria o sucessor do pai) e não Jacó.

Um dia, voltando da caça, Esaú estava muito cansado e viu que Jacó havia preparado um guisado (um prato refogado geralmente com carne e legumes) e pediu do guisado à Jacó.

Jacó disse a ele que só lhe daria do guisado se ele lhe vendesse o direito de primogenitura, como Esaú estava realmente muito cansado e com fome, simplesmente lhe vendeu o direito de primogenitura em troca do guisado, pão e lentilhas. Esaú desprezou a primogenitura, trocou algo tão valioso por um guisado. Porque já nem dava importância para Deus e achava que a ele bastava ser um grande caçador, talvez ele pensasse: “O que Deus poderia me dar além daquilo que meus braços já tem alcançado?”. Esaú era força, Jacó era fé.

Esaú era o filho preferido de Isaque, era um caçador. Já Jacó era mais pacato (não entenda pacato como alguém que não faz nada da vida, mas como alguém reflexivo) e vivia em tendas (entenda-se: ele buscava à Deus) era o preferido de Rebeca. Jacó amava a Deus e se preocupava em agrada-lo. Enquanto que em Esaú não vemos isso, nem mesmo quando escolhe suas esposas hititas (povo que adorava a vários deuses, geralmente feitos em pedra), elas foram um grande aborrecimento para Isaque e Rebeca.

Quando Rebeca manda Jacó se passar pelo irmão para receber a bênção do pai ele se preocupa se ao invés de uma bênção ele recebesse uma maldição.

 “E se meu pai me apalpar? Vai parecer que estou tentando enganá-lo, fazendo-o de tolo e, em vez de bênção, trarei sobre mim maldição”. Gênesis 27:12

Como Rebeca acreditou no que Deus havia lhe dito, ela ordenou que Jacó a obedecesse, dizendo que caso isso acontecesse que então a maldição caísse sobre ela e não sobre ele.

Rebeca foi ousada, determinada e precisa. Ela manda que Jacó pegue dois cabritos do rebanho para preparar o guisado, pois o gosto seria parecido com o de um animal caçado. Depois escolhe exatamente a roupa que Esaú usava para caçar, mas que não havia usado naquele dia (era uma roupa diferente que o ajudava a atrair a caça de forma mais fácil, apesar de ter esposas, essa roupa estava com Rebeca). A roupa teria também o cheiro de Esaú. Para cobrir as mãos e o pescoço de Jacó que não era peludo como o irmão, ela usa as peles dos cordeiros. Rebeca era muito inteligente e parece que só aguardava o momento de ajudar o filho.

Depois de se passar pelo irmão e receber a benção do pai, claro que Esaú ficou furioso e queria matar o irmão. Rebeca mais uma vez age rápido e manda Jacó ir para casa de seu irmão Labão em Harã.

Quando estava a caminho da casa de Labão, Jacó faz uma pausa para descansar a noite, ele pega uma pedra e usa como travesseiro, Deus fala com ele. Já ouvi dizer que esse lugar era o Monte Moriá e que a pedra que ele havia pego, seria uma das pedras usadas por Abraão para fazer o altar onde colocaria Isaque.

“E teve um sonho no qual viu uma escada apoiada na terra; o seu topo alcançava os céus, e os anjos de Deus subiam e desciam por ela.
Ao lado dele estava o Senhor, que lhe disse: “Eu sou o Senhor, o Deus de seu pai Abraão e o Deus de Isaque. Darei a você e a seus descendentes a terra na qual você está deitado.” Gênesis 28:12,13

Jacó temeu ao Senhor e alí no lugar onde teve o sonho, pegou a pedra que havia deitado a cabeça e colocou em pé como uma coluna e derramou óleo sobre ela e fez um voto.

“Então Jacó fez um voto, dizendo: “Se Deus estiver comigo, cuidar de mim nesta viagem que estou fazendo, prover-me de comida e roupa,
e levar-me de volta em segurança à casa de meu pai, então o Senhor será o meu Deus.
E esta pedra que hoje coloquei como coluna servirá de santuário de Deus; e de tudo o que me deres certamente te darei o dízimo”. Gênesis 28:20-22

Quando Jacó chega à casa de Labão, logo vê Raquel levando o rebanho do pai para o poço. Rebeca já havia instruído Jacó, para que ele se casasse com a filha de Labão que ele visse levando as ovelhas ao poço. Interessante que ela o instruiu a encontrar uma esposa da mesma forma que ela foi escolhida. O que acontece depois já sabemos, Labão engana Jacó e ele se casa com Lia primeiro.

Quando Deus manda Jacó voltar a sua terra natal, uma preocupação era reencontrar seu irmão. Como ele o receberia já que antes de sua partida queria mata-lo?

Jacó esteve com Labão por vinte anos.

“Sou o Deus de Betel, onde você ungiu uma coluna e me fez um voto. Saia agora desta terra e volte para a sua terra natal’ “. Gênesis 31:13

“Jacó mandou mensageiros adiante dele a seu irmão Esaú, na região de Seir, território de Edom.” Gênesis 32:3

Quando os mensageiros retornaram, avisaram a Jacó que Esaú vinha ao encontro dele com quatrocentos homens. Certamente não seria em paz.

“Quando os mensageiros voltaram a Jacó, disseram-lhe: “Fomos até seu irmão Esaú, e ele está vindo ao seu encontro, com quatrocentos homens”.
Jacó encheu-se de medo e foi tomado de angústia. Então dividiu em dois grupos todos os que estavam com ele, bem como as ovelhas, as cabras, os bois, e os camelos,
pois assim pensou: “Se Esaú vier e atacar um dos grupos, o outro poderá escapar”.
Então Jacó orou: “Ó Deus de meu pai Abraão, Deus de meu pai Isaque, ó Senhor que me disseste: ‘Volte para a sua terra e para os seus parentes e eu o farei prosperar’;
não sou digno de toda a bondade e lealdade com que trataste o teu servo. Quando atravessei o Jordão eu tinha apenas o meu cajado, mas agora possuo duas caravanas.
Livra-me, rogo-te, das mãos de meu irmão Esaú, porque tenho medo que ele venha nos atacar, tanto a mim como às mães e às crianças.
Pois tu prometeste: ‘Esteja certo de que eu o farei prosperar e farei os seus descendentes tão numerosos como a areia do mar, que não se pode contar’ “. Gênesis 32:6-12

Jacó orou ao Senhor e ao amanhecer montou sua estratégia.

“Depois de passar ali a noite, escolheu entre os seus rebanhos um presente para o seu irmão Esaú:
duzentas cabras e vinte bodes, duzentas ovelhas e vinte carneiros,
trinta fêmeas de camelo com seus filhotes, quarenta vacas e dez touros, vinte jumentas e dez jumentos.
Colocou cada rebanho sob o cuidado de um servo, e disse-lhes: “Vão à minha frente e mantenham certa distância entre um rebanho e outro”.
Ao que ia à frente deu a seguinte instrução: “Quando meu irmão Esaú encontrar-se com você e lhe perguntar: ‘A quem você pertence, para onde vai e de quem é todo este rebanho à sua frente? ’,
você responderá: É do teu servo Jacó. É um presente para o meu senhor Esaú; e ele mesmo está vindo atrás de nós”.
Também instruiu o segundo, o terceiro e todos os outros que acompanhavam os rebanhos: “Digam também a mesma coisa a Esaú quando o encontrarem.
E acrescentem: Teu servo Jacó está vindo atrás de nós”. Porque pensava: “Eu o apaziguarei com esses presentes que estou enviando antes de mim; mais tarde, quando eu o vir, talvez me receba”. Gênesis 32:13-20

A intenção de Jacó era a seguinte: ele dividiu o presente para que fosse entregue por partes. Primeiro uma parte das duzentas ovelhas e uma parte de cada animal e assim fez com todo o presente. Para que recebendo a primeira parte, Esaú pensasse que aquele era todo o presente e assim quando chegasse as outras partes o presente parecesse maior. E dividiu também o acampamento em dois grupos para se caso Esaú atacasse o primeiro grupo, o segundo pudesse fugir.

Tem gente que quando vai fazer algo no trabalho etc, nem ora, não pede direção de Deus, não pensa em nada, depois não dá certo e a pessoa não sabe o porquê. A vontade de Jacó era voltar em paz para casa, mas caso isso não fosse possível (não por parte dele), ele já tinha uma estratégia preparada.

“Então Jacó orou: “Ó Deus de meu pai Abraão, Deus de meu pai Isaque, ó Senhor que me disseste: ‘Volte para a sua terra e para os seus parentes e eu o farei prosperar’;
não sou digno de toda a bondade e lealdade com que trataste o teu servo. Quando atravessei o Jordão eu tinha apenas o meu cajado, mas agora possuo duas caravanas.
Livra-me, rogo-te, das mãos de meu irmão Esaú, porque tenho medo que ele venha nos atacar, tanto a mim como às mães e às crianças.” Gênesis 32:9-11

“Quando Jacó olhou e viu que Esaú estava se aproximando, com quatrocentos homens, dividiu as crianças entre Lia, Raquel e as duas servas.
Colocou as servas e os seus filhos à frente, Lia e seus filhos depois, e Raquel com José por último.
Ele mesmo passou à frente e, ao aproximar-se do seu irmão, curvou-se até o chão sete vezes.
Mas Esaú correu ao encontro de Jacó e abraçou-se ao seu pescoço, e o beijou. E eles choraram.” Gênesis 33:1-4

Quando uma situação difícil se apresentar à você, siga a estratégia de Jacó.

Sair enfrentando as pessoas, muitas vezes até por bobagem, não vale a pena e você só provocará uma situação ainda pior, uma guerra. Além de sofrer um desgaste desnecessário. Se Jacó já chegasse enfrentando o irmão, imagina o que teria acontecido. Mas ele foi inteligente. Mandou presentes, dividiu o presente para parecer ainda maior, e dividiu o grupo em dois para caso algo desse errado o outro grupo pudesse fugir.

Vamos revisar:

1-Jacó era pacato e temia ao Senhor

2-Nunca se conformou em não ter a primogenitura e se aproveitou do descaso de Esaú pelo título.

3-Era corajoso e confiou no que Rebeca havia lhe dito para que pudesse receber a benção de Isaque

4-Jacó fez um altar ao Senhor e um voto

5-Ele orou

6-Montou uma estratégia para proteger a família, se preparou para a batalha.

Se você precisa quebrar alguém (vou explicar, não se escandalizem à toa), quebrar no sentido de acalmar os ânimos daquela pessoa, não chegue declarando guerra. Mesmo que você esteja com a razão (como Jacó estava), conte até dez, respire fundo e fale brandamente com a pessoa (isso não quer dizer que se tornarão amigos, não se iluda). Se for o caso, dê um presente mesmo ou simplesmente elogie. Garanto que você vai se surpreender com o resultado. Já fiz isso várias vezes e engraçado é que a pessoa se “desarma” passa ter uma reação oposta e nem percebe. De qualquer forma, prepare-se para tudo.

Oração tem poder, e voto também, se for aceito por Deus. Não torça o nariz, já pensando que estou falando de dinheiro, pode ser dinheiro, pode ser fazer algo que você sabe que agradará a Deus mas que talvez seja difícil pra você. Não desanime, Jacó nunca demonstrou desanimo. Nem quando passou a vida toda sabendo que Esaú teria o direito a primogenitura e nem quando trabalhou por mais sete anos para se casar com Raquel. Seja corajoso, quando chegar o momento de agir, ore e faça. Prepare-se, nunca enfrente uma batalha sem oração e estratégia.

No Amor de Cristo

Ana Lucia Salles

Anúncios

Navegação de Post Único

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: