crescercomcristo

Just another WordPress.com site

Arquivo para o mês “fevereiro, 2018”

Curiosidades Bíblicas II

curiosidades biblicas 2

Paz amados! Hoje venho trazer algumas curiosidades bíblicas e garanto que são bem interessantes.  São detalhes que ajudam a gente a entender certos trechos da bíblia com clareza. Se gostarem, avisem pra eu trazer mais, esses dias descobri uma fonte de informação desse tipo bem completa, mais do que a que tenho aqui, e caso queiram, vou providenciar pra trazer pra vocês.

Sabe aquele tipo de coisa que depois que você sabe, vai ver o versículo e pensar “ah entendi, então é por isso que falaram tal coisa, que fizeram isso etc”. Pois é, essas curiosidades são do tipo esclarecedoras.

1- Sal

“Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.” Mateus 5:13

Ao ser recolhido da região do Mar Morto, uma parte do sal era boa para salgar e cozinhar, mas a outra havia perdido o seu sabor. Esse sal, porém, não era jogado fora.

Eles o guardavam no templo de Jerusalém e quando as chuvas de inverno tornavam escorregadios os pátios de mármore, o sal era espalhado no chão para reduzir o perigo das quedas. Portanto, o sal que perdeu o sabor é pisado pelos homens.

2-  O Peixe de Pedro

“E, chegando eles a Cafarnaum, aproximaram-se de Pedro os que cobravam as dracmas, e disseram: O vosso mestre não paga as dracmas?
Disse ele: Sim. E, entrando em casa, Jesus se lhe antecipou, dizendo: Que te parece, Simão? De quem cobram os reis da terra os tributos, ou o censo? Dos seus filhos, ou dos alheios?
Disse-lhe Pedro: Dos alheios. Disse-lhe Jesus: Logo, estão livres os filhos.
Mas, para que os não escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, tira o primeiro peixe que subir, e abrindo-lhe a boca, encontrarás um estáter; toma-o, e dá-o por mim e por ti.” Mateus 17:24-27

O peixe em questão era uma tilápia (hoje chamada de “peixe de São Pedro” ou St. Peter). A tilápia carrega os seus ovos e mais tarde os novos peixes na boca. Mesmo quando vão à procura de comida, os peixinhos voltam à proteção da mãe. Quando a mãe-peixe quer que fiquem fora, ela pega um objeto (preferivelmente brilhante) e o segura na boca para evitar que retornem. Nesse caso o peixe pegou uma moeda de um siclo.

Há três formas que se utilizavam para a pescaria: vara e linha (Mateus 17:24-27) como Jesus disse à Pedro para lançar o anzol e pegar o peixe. Outra forma: Lança- Jó 41:7. Homens saíam à noite com uma lança pendurada na proa do barco. Os peixes eram arpoados quando saltavam atraídos pela luz. E a terceira: Pesca com rede especial-  Era uma rede circular com aproximadamente cinco metros de diâmetro e pesos nas bordas.

Uma corda comprida ficava presa ao centro da rede, quando um cardume de peixes era visto no raso, jogavam a rede e o pesos faziam com que a rede pesasse e descesse e os peixes ficavam presos ali. Pedro e André faziam esse tipo de pescaria quando foram chamados por Jesus (Marcos 1:16-17).

3- Mel

“O temor do Senhor é puro, e dura para sempre. As ordenanças do Senhor são verdadeiras, são todas elas justas.
São mais desejáveis do que o ouro, do que muito ouro puro; são mais doces do que o mel, do que as gotas do favo.” Salmos 19:9-10

Quando o menino ia pela primeira vez à escola nos dias do Novo Testamento, ele chegava à sinagoga quando estava ainda escuro para ouvir a história de como Moisés recebera a lei. A seguir era levado à casa do professor para tomar a primeira refeição, onde ganhava bolos com letras da lei escritas neles. Na escola, o menino recebia uma lousa com passagens das Escrituras. A lousa era lambuzada com mel. Ele tinha de traçar as letras através do mel com a pena e era natural lamber a pena enquanto trabalhava.

A idéia era que ele iria compreender que sua ida à escola era para absorver as Escrituras. Essa prática de aprendizado parece ter sido baseada num velho costume ao qual Davi se refere no Salmo.

O mel era usado como um adoçante natural na ausência do açúcar. Enxames de abelhas podiam fixar-se numa árvore oca, num buraco na rocha ou até na carcaça de um animal.

4- “Cala-te, Aquieta-te”

“E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança.” Marcos 4:39

Quando Jesus disse essas palavras, ele usou o termo phimothete, que seria normalmente usado para exorcizar espíritos malignos. Jesus reconheceu à tentação do diabo sobre sua vida na tempestade e falou de acordo com a situação.

5- Seguir Jesus

“E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.” Mateus 4:19

Em nossa cultura, “seguir após” uma pessoa significa colocar-se numa posição secundária, mas a frase não tinha esse sentido nos tempos bíblicos. As ruas eram tão estreitas que se duas pessoas andassem juntas, elas teriam de caminhar uma atrás da outra. Seguir uma pessoa era ir com ela. Diríamos então: “Se alguém vier comigo”.

6- Saudações

“Não leveis bolsa, nem alforje, nem alparcas; e a ninguém saudeis pelo caminho.” Lucas 10:4

As saudações durante uma viagem demoravam muito. Não se considerava educado passar simplesmente pelas pessoas. Era preciso fazer e responder perguntas tais como: “Para onde está indo?… De onde vem?… Como se chama?… Quantos filhos tem?” e assim por diante. Por isso Jesus orientou os discípulos a não saudarem ninguém, porque certamente demoraria muito e perderiam um precioso tempo em cada saudação. Era simplesmente para não perderem tempo.

7- Refeições

Qualquer motivo era desculpa para uma festa: o desmame de uma criança, a chegada de um hóspede e os aniversários.

Quando um amigo chegava à meia-noite e o anfitrião não tinha alimento para satisfazer as necessidades dele, acordava insistentemente o vizinho e lhe pedia comida, não só porque o vizinho era amigo, mas porque a obrigação de oferecer uma refeição a um hóspede era muito grande naquela cultura.

“Então lhes disse: “Suponham que um de vocês tenha um amigo e que recorra a ele à meia-noite e diga: ‘Amigo, empreste-me três pães,
porque um amigo meu chegou de viagem, e não tenho nada para lhe oferecer’.
“E o que estiver dentro responda: ‘Não me incomode. A porta já está fechada, e meus filhos estão deitados comigo. Não posso me levantar e lhe dar o que me pede’.
Eu lhes digo: embora ele não se levante para dar-lhe o pão por ser seu amigo, por causa da importunação se levantará e lhe dará tudo o que precisar.”  Lucas 11:5-8

As refeições eram um aspecto importante da amizade. Comer na companhia de alguém era estar em paz com ele.

Uma aliança de paz feita numa refeição era assim um pacto e a refeição, portanto um meio de reconciliação.

Foi provavelmente por isso que Jesus apareceu a seus discípulos depois da crucificação e comeu com eles; era um meio de lhes garantir novamente que mesmo que tivessem falhado em relação à Ele, sua amizade com eles continuava a mesma.

Uma das primeiras coisas feitas para um convidado era dar-lhe um copo de água fresca para beber. Isso representava um penhor de amizade. Por isso a mulher samaritana não compreendeu porque Jesus, um judeu, pediu água para ela, quando geralmente havia tanta inimizade entre judeus e samaritanos.

Oferecer água, indicava que o convidado era digno de uma recepção pacífica, pedir água para beber era ser bem recebido.

Quando um hóspede chegava para a refeição era cumprimentado  e um servo removia-lhe as sandálias para lavar-lhe os pés e que em seguida eram secos com um toalha. Depois, a cabeça do hóspede era ungida com azeite de oliva, perfumado com especiarias.

Essa prática Simão negligenciou ao receber Jesus em sua casa:

“E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; mas esta regou-me os pés com lágrimas, e os enxugou com os cabelos de sua cabeça.” Lucas 7:44

****************************

Fonte: Novo Manual dos Usos & Costumes dos Tempos Bíblicos

Autor: Ralph Gower

Editora: CPAD

****************************

Vou finalizando por aqui, mas se gostarem, é só dizer que eu trago mais. Acho bem interessante esses tópicos pra entender melhor a bíblia, seja para simples leitores ou pastores, ajuda bastante a todos.

No Amor de Cristo

Ana Lucia Salles

Anúncios

Carnaval – A Festa da Destruição

carnaval 2018

“Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina.” II Timóteo 4:2

É assim que vejo o carnaval, uma época de destruição, onde a “alegria” é só uma máscara e onde fantasias tentam disfarçar a tristeza do coração.

Observo muito e presto atenção em detalhes, tem certas coisas que saltam aos olhos de tão nítidas que são.

Vejo pessoas tentando a qualquer custo forjar (inventar) felicidade, e o fazem da pior maneira, buscando o que não se pode achar em copos de cerveja, garrafas de bebidas alcoólicas dos mais variados tipos. Buscando felicidade em sexo sem compromisso, prazer momentâneo, euforia de drogas, risos sem sentido, falsos amigos. Procurando amor em abraços onde se cruzam apenas braços, corpos, mas não sentimentos verdadeiros. Nada além de breves momentos.

Sabe aquela música absurdamente alta? Parece tentar ser mais alta do que o gemido de dor da alma. Sabe aquele vazio que não para de aumentar? Não pode ser preenchido com ilusão. Ah a ilusão! Em pensar que alguns ainda a chamam de doce (doce ilusão). A ilusão é amarga, ainda que não pareça logo de início. Como pode ser doce algo que engana, que parece uma coisa, mas na realidade é outra? A ilusão é uma mentira e não se pode viver alimentando-se do que não sacia.

Nesses dias de Carnaval, infelizmente muitos perderão a vida, porque essa é a verdade por traz da “festa”: morte. Drogas, estupros, assassinatos, acidentes provocados por pessoas alcoolizadas, que talvez minutos antes estavam “festejando” o nada.

Ontem li um pequeno texto em uma rede social onde dizia mais ou menos assim: “que tem pessoas no Carnaval com Deus no coração e que o importante é exercer o poder do amor e do respeito pra salvar suas almas”. Bonito não é mesmo? Ah exercer o poder do amor e do respeito com Deus no coração festejando o Carnaval? Pena que amor e respeito não salvem a alma de ninguém, pessoas boas também vão para o inferno se não tiverem Jesus. Amor e respeito a gente deve ter independente de religião, mas quem salva mesmo é Jesus, e vamos combinar que quem tem Jesus não tem por que comemorar a festa da carne, é incompatível. Não é uma roupa que se veste e pode tirar e dizer “Ah Deus, eu tenho fé e Jesus mas agora vou alí um pouquinho dar festejar a carne e já volto”. A fé nos move a fazer aquilo que agrada à Deus, por isso que durante o culto, oramos, louvamos. Já o Carnaval é festejado de acordo com o que agrada a carne, bebida, prostituição etc.

Acho que a igreja (me refiro a igreja como um todo e não a uma igreja específica) anda muito complacente e até apática. Acredito que o Carnaval é a época perfeita pra evangelizar (eu não disse fácil, disse perfeita), porque as pessoas ficam tentando se preencher desesperadamente com qualquer coisa e por isso acabam sofrendo as consequências depois.

Se cada igreja se organizasse e fosse para as ruas nessa época evangelizar, não empurrar Jesus goela abaixo das pessoas (até porque Ele não é o guaraná), mas falar de coração aberto mesmo, abraça-las. Acredito que daria muito resultado. Talvez não imediatamente, mas a semente seria plantada e no tempo certo cresceria.

Mas não é isso que acontece na maioria dos casos, vai todo mundo se isolar num acampamento e o resto do mundo que se exploda. Não sou contra o acampamento, mas acho que deveria ter organização e orientação também pra ir às ruas.

Muita gente quer isolar do mundo até mesmo fora dessa época de Carnaval, vejo pessoas nas igrejas achando que é perfeito, que está numa igreja santa e perfeita e que só ele e a igreja dele vão subir se Jesus voltar agora. Está entendendo o problema?

Não sei se essas pessoas pensam que a igreja subirá com concreto, blocos, cadeiras, instrumentos e a placa na frente com o nome e os dias de culto. Não será assim, a igreja são as pessoas, somos nós e no céu não vai ter placa de igreja, não vai ter separação por país, nada disso…parece ridículo eu ter de falar isso, mas ainda hoje, vejo gente pensando assim. Se você não gosta do Fulano, o seu não gostar não impede o Fulano de ser salvo. Se você acha que os dogmas de sua igreja são pré-requisitos para o céu, isso também não impede quem não segue os dogmas de sua igreja de ir para o céu, quer você concorde ou não. Existe uma estrela chamada Sírius e se você não a conhece ou não a vê não muda o fato de que ela existe.

Não tente julgar se o outro é salvo ou não, até porque seu julgamento pode ser totalmente errado. Já conheci uma mulher que frequentava uma igreja muito tradicional cheia de dogmas e regrinhas, e a mulher era prostituta e enganava a família. Fazia mal contra tanta gente que olhando ninguém dizia. Ela se vestia apropriadamente para ir à igreja com a família, mas depois era um tal de fazer mal pra um, prejudicar o outro,  fazer fofoca e inventar mentiras contra o outro, se prostituir por R$50 (e não era necessidade ou falta de opção). Se você pensa que se tratava de uma jovenzinha, se enganou, uma mulher de 50 anos. Talvez se você a visse diria que se enquadrava dentro dos seus pré-requisitos ao céu, principalmente se a ouvisse cantarolando hinos da harpa. Infelizmente é o tipo de pessoa que ou muda de vida, ou vai cantando a harpa pro inferno.  E está aí dentro da igreja, junto com o trigo passando-se por trigo, mas sendo joio e enganando a muitos. 

Vamos às ruas povo de Deus, sem medo, sem preconceito. Não gostaria de ninguém falando assim: “Ah mas o Fulano é gay, eu não quero falar de Jesus pra ele. Não quero nem encostar nele.”

É nojenta a atitude de certas pessoas, já disse aqui uma vez e vou falar novamente, se você se recusa a falar de Jesus pra alguém, pode ter certeza de que o diabo não se recusa a apresentar-se àquela pessoa.

Se a pessoa se recusa a ouvir não é problema seu, o que importa pra Deus é que você fale. Não cabe a você julgar a vida que a pessoa tem levado, como está vestida. Aliás, por falar em vestimenta, vamos à essa questão. Tem homens que olham pra uma mulher usando uma roupa curta ou calça ou seja lá o que for e já julgam assim: “ah essa aí já está com o pé no inferno, não vou nem falar nada pra essa perdida”, “Fica aí fazendo os homens caírem em pecado”.  Alguns se parecem com Adão “A culpa é da mulher que o Senhor me deu”, ou seja, é dela e sua , minha não.  Não estou justificando ninguém, mas convenhamos, cada um que assuma sua culpa. Ficar jogando a culpa nos outros e passar por vítima é o fim. É a mesma coisa de uma pessoa que faz dieta, toda vez que ver um doce na frente comer e colocar a culpa no doce, a culpa nunca é dela. É de quem fez o doce, de quem comprou, de quem colocou naquele lugar, mas dela nunca.

Que mulher nunca levou uma cantada até dentro do carro onde a pessoa não via nada além do pescoço pra cima? Não dando nem pra ver a roupa que a pessoa estava. Do jeito que as coisas andam até se usar uma burca ainda a vão desejar (não duvide). Auto-controle e vergonha na cara nunca fizeram mal a ninguém, seja a pessoa convertida ou não.

Se não quer falar com a pessoa então pelo menos peça pra alguém falar, entregar um folheto, ou ande em grupos, não vá fazer evangelismo sozinho. Não se coloque em situações que possam trazer à tona o seu velho homem.

Não há mais tempo a perder. Não somos os donos do tempo, mas cabe a nós decidir como usá-lo. Se você quiser passar o dia inteiro dormindo, jogado no sofá, vasculhando facebook, instagram, youtube etc, ninguém vai te impedir, mas as 24 horas vão passar, então que pelo menos seja fazendo algo útil ao Reino em parte do seu tempo.

Acredito que falta conscientização, união e até mesmo mente aberta. É um tal de minha igreja é a certa e a sua a errada, a minha é a melhor, eu sou o certo e o resto é pecador e condenado. Tanta coisinha boba e preconceito inútil, que acaba atrapalhando o crescimento e a propagação do evangelho.

Ainda quero falar especificamente sobre esse assunto em outra postagem, porque não há mais tempo para tolerar uma fé hipócrita.

Meu desejo e minha oração é para que a igreja acorde e invada às ruas resgatando as almas, todas elas tão preciosas à Deus. Se importa à Deus, então tem que importar à nós. Lembre-se que a salvação não é só para você, vamos divulgar a Palavra, a ordem já foi dada. Jesus já nos enviou, não precisa esperar “um sinal” para evangelizar.

“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. Mateus 28:19,20

Que tenhamos a ousadia de Davi pra enfrentar o gigante, a fé de Abrahão que confiou em Deus e a loucura santa necessária de João na pregação do evangelho. Que Jesus nos guie e nos direcione para alcançarmos o objetivo: SALVAÇÃO DE ALMAS.

No Amor de Cristo

Ana Lucia Salles

parabola dos talentos

“E também será como um homem que, ao sair de viagem, chamou seus servos e confiou-lhes os seus bens.
A um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um; a cada um de acordo com a sua capacidade. Em seguida
partiu de viagem.
O que havia recebido cinco talentos saiu imediatamente, aplicou-os, e ganhou mais cinco.
Também o que tinha dois talentos ganhou mais dois.
Mas o que tinha recebido um talento saiu, cavou um buraco no chão e escondeu o dinheiro do seu senhor.
“Depois de muito tempo o senhor daqueles servos voltou e acertou contas com eles.
O que tinha recebido cinco talentos trouxe os outros cinco e disse: ‘O senhor me confiou cinco talentos; veja,
eu ganhei mais cinco’.
“O senhor respondeu: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco; eu o porei sobre o muito. Venha e
participe da alegria do seu senhor! ’
“Veio também o que tinha recebido dois talentos e disse: ‘O senhor me confiou dois talentos; veja, eu ganhei
mais dois’.
“O senhor respondeu: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco; eu o porei sobre o muito. Venha e
participe da alegria do seu senhor! ’
“Por fim veio o que tinha recebido um talento e disse: ‘Eu sabia que o senhor é um homem severo, que colhe
onde não plantou e junta onde não semeou.
Por isso, tive medo, saí e escondi o seu talento no chão. Veja, aqui está o que lhe pertence’.
“O senhor respondeu: ‘Servo mau e negligente! Você sabia que eu colho onde não plantei e junto onde não
semeei?
Então você devia ter confiado o meu dinheiro aos banqueiros, para que, quando eu voltasse, o recebesse de
volta com juros.
” ‘Tirem o talento dele e entreguem-no ao que tem dez.
Pois a quem tem, mais será dado, e terá em grande quantidade. Mas a quem não tem, até o que tem lhe será
tirado.
E lancem fora o servo inútil, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes’ “.
Mateus 25:14-30

Navegação de Posts