crescercomcristo

Just another WordPress.com site

A Trajetória de José – De Escravo a Governador

jose de escravo a governador

Deus não evitou que José fosse lançado numa cova por seus irmãos, não evitou que fosse vendido como escravo ao Egito, não evitou que fosse lançado injustamente na prisão e nem que fosse esquecido lá por anos, mesmo depois de interpretar os sonhos do copeiro a quem pediu que se lembrasse dele quando estivesse novamente na presença de Faraó. Mas então será que Deus não estava com José e que havia se esquecido dele? Deus era com José TODO O TEMPO.

Muitas vezes pedimos à Deus que mude situações em nossa vida e nos entristecemos quando Deus não a muda. A verdade é que Deus não muda certas situações por um determinado tempo, porque Ele está usando essas situações para nos mudar. Por não entender o agir de Deus podemos pensar que Deus não está trabalhando em nosso favor para acabar com aquilo que nos tem sido motivo de choro. Deus não evitou que José enfrentasse todos esses obstáculos por dois motivos: TRANSFORMAÇÃO e PREPARAÇÃO. Não digo que foi unicamente para que mais adiante ele se tornasse governador do Egito e preservasse a vida de muitos com a questão do alimento, porque Deus tem muitas maneiras de agir, ele poderia chegar a governador sim e sem essa trajetória de sofrimento, o objetivo era esse mas o caminho até chegar ao objetivo pode não ser como imaginamos. Até chegar a ser governador, Deus queria mudar muitas características de José e prepara-lo para o que havia de enfrentar. Um José despreparado não poderia ser governador.

 José era o filho preferido de Jacó, pois foi o primeiro filho que teve na velhice, com Raquel a mulher a quem ele tanto amou e por quem trabalhou anos como se fossem alguns dias. José era o filho querido, mimado, a quem Jacó deu uma túnica colorida (que entre outras coisas, significava autoridade). Por esse motivo era invejado por seus irmãos. Deus dava sonhos a José, que na verdade, eram revelações. Por duas vezes ele sonhou e cometeu o grave erro de contar aos seus irmãos e ao seu pai. Imagine os irmãos de José o ouvindo contar o seguinte:

“Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado: Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava, e também ficava em pé, e eis que os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu molho.” Gênesis 37:6-7 

“Eis que tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim.” Gênesis 37:9 

Claro que eles entenderam que ele queria dizer que um dia eles se inclinariam perante ele e o odiavam ainda mais a cada sonho contado. Jacó também o repreendeu pelo sonho, mas ainda assim guardava essas palavras em seu coração. Amados, um sonho, uma profecia, uma promessa NÃO SE CONTA, guarde pra você. Até aqueles que você acha que ficarão felizes em ouvir podem te surpreender por serem invejosos. Não se engane com as pessoas a ponto de pensar que “é todo mundo bonzinho”, pode não ser bem assim. Você julga aquilo que vê e aquilo que a pessoa parece (só parece) ser, Deus vê aquilo que realmente é. Recebeu uma promessa? GUARDE! Tem um sonho? GUARDE! Está fazendo planos para o futuro? GUARDE PRA VOCÊ! 

O que José sonhava ele contava, não guardava pra si. Essa é uma das características que vemos mudar em José ao longo da jornada. Depois, quando já era governador do Egito e reencontra seus irmãos, aquele José impulsivo, que falava o que pensava, o que sonhava, já não existia mais. Prova disso é que ele não se revela imediatamente aos irmãos. Consegue ter a frieza e a estratégia necessária para agir naquele momento. Vemos um José mais racional, estrategista. Humano sim, pois ao se revelar aos irmãos não consegue conter as lágrimas, mas agora um homem maduro e preparado por Deus, enquanto escravo para ser governador. 

Deus sempre esteve com José e veja que interessante, a bíblia diz que ele foi próspero muito antes de ser governador do Egito. Ele prosperou mesmo sendo escravo. 

“E o SENHOR estava com José, e foi homem próspero; e estava na casa de seu SENHOR egípcio. Vendo, pois, o seu senhor que o SENHOR estava com ele, e tudo o que fazia o SENHOR prosperava em sua mão, José achou graça em seus olhos, e servia-o; e ele o pôs sobre a sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha.

E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o SENHOR abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do SENHOR foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo.” Gênesis 39:2-5 

José foi próspero na casa de Potifar, foi próspero até mesmo na prisão. 

“O SENHOR, porém, estava com José, e estendeu sobre ele a sua benignidade, e deu-lhe graça aos olhos do carcereiro-mor. E o carcereiro-mor entregou na mão de José todos os presos que estavam na casa do cárcere, e ele ordenava tudo o que se fazia ali.

E o carcereiro-mor não teve cuidado de nenhuma coisa que estava na mão dele, porquanto o SENHOR estava com ele, e tudo o que fazia o SENHOR prosperava.” Gênesis 39:21-23 

O fato de José estar na prisão não significava a ausência do cuidado de Deus, pois ele nem mesmo era tratado como os outros presos. Portanto, é possível sim, ser próspero em meio às situações que nos afrontam, em meio aos problemas. 

Uma das coisas que acho mais interessantes na história de José é que quem é diferente e escolhido se diferencia desde cedo e em qualquer lugar, qualquer situação. José nunca foi igual seus irmãos, ele foi diferente como escravo, diferente como preso e até mesmo como governador.

Obviamente José sofreu e sofreu muito, Deus era com ele, mas José era humano, passou por anos de sofrimento. Viu sua vida mudar radicalmente, de filho preferido de Jacó a escravo e preso no Egito, teve que aprender muitas coisas. A servir mesmo quando não queria, a se calar. Foram anos e anos de trabalho duro e transformações internas em José. O rapaz da túnica colorida, que se tornou escravo e que agora se encontrava preso por ter se negado a deitar com a mulher de Potifar, o inocente na prisão.

Num dia que tinha tudo para ser como qualquer outro, José é chamado para interpretar o sonho de Faraó e partir daquele momento sua vida mudou novamente, era o dia marcado por Deus para iniciar uma nova história na vida daquele homem, vestes  trocadas, nova aparência e também um novo homem. José saiu de uma cova na prisão para governar o Egito. Da prisão ao palácio.  Faraó viu que Deus era com José e entendeu que não haveria pessoa melhor para governar o Egito. O fato de José ser estrangeiro e ter estado preso não importou a Faraó.

Seu nome foi mudado por Faraó para Zefanete-Paneia, que quer dizer em egípcio: “Salvador do mundo” e em hebraico: “Deus fala, Ele vive”. José agora é um novo homem, marcado por uma história de sofrimento e muitas mudanças e que chegou ao tempo em que Deus lhe havia preparado.

José teve dois filhos com Azenate (filha de um sacerdote do Egito, a quem Faraó lhe deu por esposa), o nome do primeiro filho era Manassés. José deu esse nome porque disse: “Deus me fez esquecer de todo o meu trabalho, e de toda a casa de meu pai”. Deus não deu amnésia a José, nada disso, ele também não havia se esquecido de seu pai e de seus irmãos. Mas esse “esquecer” na verdade era o fato de Deus ter tirado de José o excesso. Todas as situações que ele havia passado haviam deixado uma marca muito forte e certamente algum trauma. Então Deus tira da mente e do coração de José esse excesso que não trazia mais mudança, transformação, que agora só causava dor. Fica a lembrança de tudo o que houve, o resultado permanece, a marca também, mas o excesso Deus tira. Tanto é verdade que José sofreu muito (digo isso, porque muita gente pensa assim: “ah imagina, José era homem de Deus, ele não teve medo, passou por tudo numa boa”) que o nome de seu segundo filho é Efraim, porque disse: “Deus me fez crescer na terra da minha AFLIÇÃO”.

Há certas situações que perduram por tanto tempo que acabam deixando traumas e lembranças tão ruins que não causam mais transformação em nós, apenas dor. Deus muda a situação no tempo certo e se por acaso aquilo lhe foi tão pesado a ponto de lhe causar traumas e agora só de lembrar já lhe traz dor, peça a Deus que tire isso de você. Se você já foi tirado do problema agora ele precisa ser tirado de dentro de você.  Você não esquecerá o que aconteceu totalmente, mas ao lembrar já não vai doer, o sentimento não será mais o mesmo. Outro detalhe importante, o “esquecer” de José também significa PERDÃO, ele havia perdoado seus irmãos, por isso chorou ao se revelar à eles, se alegrou e entendeu o propósito de Deus. Quem perdoa, esquece o que houve, não sente mais o ódio a raiva.

Se você não liberar perdão, não poderá seguir em frente. O que aconteceu vai sempre ficar martelando sua mente e seu coração e o sentimento ruim estará aprisionado dentro de você, impedindo sua vida de prosperar. Quando digo prosperar, entenda, quero dizer como um todo, em todas as áreas.

Na oração do Pai Nosso, pedimos a Deus que nos perdoe assim como nós perdoamos aos que nos fizeram algo. Se você não perdoar primeiro, como Deus poderá lhe perdoar? Talvez você não tenha idéia do quanto isso é importante, mas a falta de perdão pode atrasar sua vida. Será que foi fácil para José perdoar? Não foi. Afinal, ser tirado do conforto de estar perto da família, do pai que o amava, dos privilégios que tinha, pra ser vendido pelos próprios irmãos como escravo, com certeza não foi fácil para José perdoar. Mesmo assim ele liberou perdão e um dia viu se cumprindo os sonhos que Deus havia lhe dado. Aquilo que depende de Deus (tirar o trauma) Ele fará, aquilo que depende de você (perdoar), só você pode fazer.

“Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;

Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.” Mateus 6:14-15

Você precisa seguir em frente, rumo ao propósito de Deus. Deus foi tão bom para José e o propósito da vida dele era tão grande que o tempo da alegria e da superação foram muito maiores do que o tempo do sofrimento.

Tem um louvor antigo que diz assim: “Quando a dor vai tomar o meu sorriso que está se apagando, sei que amanhã, quando eu acordar, Jesus Cristo, minha dor vai tirar, vai tirar…O choro pode durar uma noite, mas alegria, ela vem, de manhã bem cedo. As estrelas podem formar contra mim açoites, mas Cristo vem bem de manhã e tira o meu medo”.

Amados, a noite de José durou muitos anos mas, um dia quando ele não esperava, veio a manhã e o SOL DA JUSTIÇA, brilhou com toda força na vida dele.

Creia, porque assim também será em sua vida. A noite que você tem enfrentado pode estar durando muito tempo, mas vai chegar o dia que já pode estar bem próximo. O dia em que virá a manhã e o SOL DA JUSTIÇA brilhará e todo o mal, todo o sofrimento, todo o excesso e todo trauma sairão de sua vida, sua mente e de seu coração. A força do propósito e do bem do Senhor é muito maior do que qualquer longa noite de aflição.

 No amor de Cristo

Ana Lucia Salles

senhor estou disposto a ser o que quiseres de mim

Navegação de Post Único

2 opiniões sobre “A Trajetória de José – De Escravo a Governador

  1. ISRAEL HENRIQUE DE AZEVEDO em disse:

    AGORA VEJO A MINHA HISTÓRIA E VEJO QUE TUDO TEM UM PROPÓSITO NA VIDA , E CREIO NAS PROMESSAS DO SENHOR , E TAMBÉM NOS PROFETAS QUE ELE USOU PARA QUE A MINHA MISSÃO SEJA CUMPRIDA ATÉ OS CONFINS DA TERRA! QUE ELE NOS FORTALEÇA E NOS DÊ SABEDORIA PARA FAZER . MATEUS 28:19-20

  2. Lindo. Retrata minha vida. Minha história.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: